A Ilha do Mel

ilhadomel

Ilha do Mel é uma grata surpresa no litoral do Paraná! A Ilha atrai turistas o ano inteiro: no verão os brasileiros vão atrás de tranquilidade, calor e surf. No resto do ano, tanto brasileiros como estrangeiros procuram a natureza, as temperaturas amenas e principalmente, sair da rotina. E para quem acha que no Paraná não tem praias bonitas, deixamos um recado: você precisa conhecer esse paraíso chamado Ilha do Mel!

A experiência já começa antes de chegar à Ilha. O acesso é feito por barcos, que podem partir de Paranaguá, com aproximadamente duas horas de travessia, ou de Pontal do Sul, mais comum, com meia hora de travessia. O próprio trajeto de barco torna-se uma atração, sendo uma ótima oportunidade para belas fotos, e se der sorte, ainda é possível ver golfinhos bem próximos do barco! Os bilhetes de ida e volta para a travessia são comprados no local de embarque. Se você estiver viajando em grupo, vale a pena contratar um barco privativo.

Em Pontal do Sul os horários dos barcos são bem frequentes e há vários estacionamentos para seu carro, facilitando a viagem. Já a partir de Paranaguá, há poucos horários de barco.

Chegando na Ilha do Mel, você não irá encontrar carros e nem motos. O sinal de telefone é fraco e o número de visitantes na Ilha é restrito a 5.000 pessoas por dia. Por essas e tantas outras razões, ir à Ilha do Mel é uma experiência incrível, para passear e descansar.

rústica e exótica Ilha pertence ao município de Paranaguá, sendo que 90% da Ilha está sob proteção ambiental. Dividida em cinco vilarejos– Fortaleza, Brasília, Farol, Praia Grande e Encantadas – cada pedaço da Ilha oferece uma vista especial. Entre os pontos turísticos mais visitados estão o Farol das Conchas, a Fortaleza e a Gruta das Encantadas, que carregam muitas histórias e belezas naturais. Do alto do farol, por exemplo, é possível ter uma vista panorâmica de quase toda a Ilha, o que compensa a subida. A vista vale cada um dos 144 degraus! O caminho até chegar nas grutas também é incrível, e chegando lá, uma praia praticamente deserta rendem ótimas fotos. A Fortaleza também guarda muitas histórias, e atualmente, suas ruínas são incríveis estruturas com canhões protegidos por muralhas, proporcionando uma impressionante vista para o oceano. É tudo encantadoramente lindo e de tirar o fôlego!

A cada ano a Ilha do Mel melhora em sua estrutura para receber os visitantes. Muitas pessoas ainda têm a imagem que a Ilha do Mel é lugar de “bicho grilo”, mas a verdade é que o nível de serviços e preços foi aumentando gradativamente com o passar do tempo e hoje a Ilha do Mel é um destino mais caro. Há pousadas e restaurantes de todos os níveis de preços, mas há muito deixou de ser simplesmente barato. O público que frequenta a ilha é formado basicamente por famílias, casais e jovens que gostam de surfar e aproveitar boas praias.

Mas para conhecer os atrativos da Ilha, além do percurso a barco, você pode caminhar. Antes de sair informe-se sobre as condições de maré antes de começar uma trilha com pedras. Veja o quadro de distâncias com o nível de dificuldade para cada trilha:

No verão a Ilha do Mel é muito quente, então leve roupas leves e confortáveis. Vale para os calçados também, já que devido às caminhadas, o ideal, por exemplo, é evitar sapatos de salto alto. No resto do ano, leve também uma jaqueta leve e calças compridas para não ficar com frio à noite. Não esqueça também do protetor solar repelente! Durante a noite a Ilha fica pouco iluminada, para isso, recomendamos que você leve também uma lanterna. Na Ilha você não encontrará caixas eletrônicos e farmácias, assim, para garantir leve uma quantia reserva em dinheiro, além de cartões de débito e crédito e os medicamentos que podem ser necessários ou contínuos. Outra dica importante é em relação as trilhas. Caminhe sempre pelas já existentes, fazer novas trilhas além de perigoso pode prejudicar o ecossistema e confundir o seu trajeto. Agora sim, depois de todas essas dicas, não deixe de levar para registrar todos os momentos e as lindas vistas da Ilha, uma câmera fotográfica!

Uma recomendação importante: antes de entrar no mar, informe-se com os moradores sobre os lugares mais apropriados. Há lugares com muitas pedras e correntezas, que podem tornar um simples banho de mar algo muito arriscado.

 

Ilha do Mel é uma ilha brasileira situada na embocadura da Baia de Paranaguá, no estado do Paraná.

A ilha do Mel é um ponto turístico de muita importância no estado do Paraná. Muitas pessoas consideram que a ilha tem as melhores praias do estado. A ilha, fazendo parte do município de Paranaguá, é administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná(IAP) e possui um restrito programa de manejo. Não é permitida a tração animal ou a motor na ilha. Existem muitas áreas onde não é permitida a presença de visitantes. A ilha possui quatro pontos turísticos de destaque: Ao norte a Fortaleza, no centro Nova Brasília e o Farol das Conchas e ao Sul Encantadas.

  • Importante: prefira ir de mochila para a Ilha do Mel. Malas com rodinhas não são nada práticas em trilhas de areia. Entretanto, se você estiver com bastante bagagem, há o serviço de carregadores na chegada da Ilha, com preços fixos dependendo de onde você vai.

A Ilha tem 24 km de praias e acaba atraindo muitos surfistas, uma vez que algumas praias da Ilha do Mel são consideradas as principais do Paraná para a prática do surf. É possível alugar pranchas de surf ou stand-up paddle e até mesmo ter uma aulinha de surf por lá. Muitos proprietários de pousadas eram surfistas que decidiram fixar residência na Ilha do Mel e construir seu negócio. A maioria dos moradores se locomove de bicicleta na Ilha do Mel. Alguns lugares alugam bicicletas rústicas e para trechos mais longos, como por exemplo, à Fortaleza, poderá valer a pena para não se cansar de caminhar na areia.

 

Geografia

A Ilha do Mel localiza-se no Oceano Atlântico Sul e situa-se a 15 milhas do Porto de Paranaguá, tendo seu ponto mais próximo do continente a 4 km de Pontal do Sul, no município de Pontal do Paraná, litoral do estado do Paraná, Brasil. São 2585 hectares de área composta por sistemas de restinga e Floresta Atlântica protegidas e destinadas exclusivamente à preservação integral da flora e da fauna, de um total de 2762 hectares (35 km de perímetro). Sua estação ecológica, com 2240 hectares, tem o objetivo de preservar o meio-ambiente e é vetada a entrada . Na Reserva Natural, com 345 hectares, é admitida a existência de trilhas, desde que não afetem a paisagem. Já, a Zona de Ocupação tem 120 hectares.

Há cem mil anos, o nível do mar estava aproximadamente a 120 metros acima do atual. Nesta época, os morros da Ilha formavam um arquipélago. De lá para cá, o mar recuou e avançou várias vezes. Essa sucessão de eventos formou a Ilha do Mel como é vista hoje, com formação de terraços, cordões litorâneos e dunas. A areia marrom que se observa nas praias do Farol e de Nova Brasília tem cinco mil anos e sua coloração deve-se à presença de matéria orgânica. O ponto mais alto da Ilha do Mel localiza-se no Morro do Miguel (Morro Bento Alves), com 151 metros.

O clima é de transição entre o tropical e o subtropical, super-úmido, sem estação seca e sem ocorrência de geadas. - Temperatura média: máxima 31º mínima 13º - Temperatura média da água: verão 21º inverno 17º - Dias de sol/ano (média): máximo 166 mínimo 133 - Chuvas (média em mm/ano): máximo 3250 mínimo 1750

História

Dos seus 2700 hectares apenas 200 têm permissão de uso - o restante é reserva ecológica (tombada pelo Patrimônio Histórico em 1975, é administrada pelo Instituto Ambiental do Paraná desde 1982). O turista dispõe de pousadas e pequenos restaurantes. A ilha tem cinco vilarejos: Fortaleza, Nova Brasília ou Brasília, Farol, Praia Grande e Encantadas. Não há ruas ou estradas, só trilhas. A implantação de geradores de energia elétrica, em 1988, deu início a atitudes que hoje se transformaram em preocupação pela preservação da ilha e sua principal atração: a natureza.

Em 15 de abril de 1982, a Ilha do Mel, por aforamento, foi transferida da União para o Estado do Paraná. A Fortaleza, o Farol e a Rádio Farol permaneceram sob o domínio da União; Em 1985, chega a água tratada; Em 21 de setembro de 1988, foi criada a Estação Ecológica da Ilha do Mel; Também em 1988 chega a energia elétrica, através de gerador a diesel, que funcionava das 7 h da manhã até às 2 h da madrugada,; Em 1998, através de cabo submarino, a luz elétrica passou a ser fornecida do continente, vinte e quatro horas por dia, seguindo também, para a Ilha das Peças e para a Ilha de Superagüi.

Origem do nome

O aparecimento de um mapa constante do “Livro de Toda a Costa da Província Santa Cruz”, feito por João Teixeira Albbernas em 1666 e que se encontra na mapoteca do Ministério das Relações Exteriores, onde a Ilha já aparece com a denominação de Ilha do Mel, praticamente desvendou o mistério sobre o nome. Outro mapa, de Antônio Vieira dos Santos, publicado em 1850, também já continha a Ilha do Mel com essa denominação. No século passado a Ilha também era conhecida como “Ilha da Baleia”, talvez pelo seu formato.

Várias hipóteses (folclóricas) são conhecidas para a origem do nome: - A extração de mel silvestre, anterior a 1950, quando os alimentos eram adoçados com o mel ou com o açúcar extraído da cana da própria ilha, devido à dificuldade de obter o açúcar industrializado; - A existência de uma família de origem alemã que habitava a região da Fortaleza, e onde havia um engenho para produção de farinha de mandioca. Farinha em alemão, escreve-se “Mehl”; - A cor da água do mar vista do alto do Morro das Conchas – Farol, principalmente no início da Praia do Farol (Paralelas); - O formato da Ilha, cuja parte oeste lembra mel saindo da boca (istmo) de um recipiente (parte sul); - A lua-de-mel que os escravos mais fortes desfrutavam com várias negras, onde os mesmos eram deixados por vários dias, para a reprodução, no século 19; - Antes da Segunda Guerra Mundial a ilha era conhecida coma a ilha do Almirante Mehl que se dedicou à apicultura e cuja família lá frequentava; - Marinheiros aposentados viviam na Ilha e dedicaram-se à apicultura, produzindo uma quantidade tamanha que chegaram a exportar o produto até os anos 60; - A água doce existente na ilha contém mercúrio. Em contato com a água salgada isto causa uma coloração amarela, semelhante à cor de favos de mel; - Os índios Carijós que viviam na região apreciavam muito o mel de abelhas, então a exploração apícola é antiga.

A travessia

A travessia para a Ilha do Mel é feita com segurança, por barcos que saem de Pontal do Sul (30min) ou de Paranaguá (1h45min). Existem linhas regulares diariamente entre as 8h00 e 17h00, mas também podem ser fretadas embarcações em outros horários. Durante a temporada, os barcos partem a cada 30 minutos, e fora de temporada a cada hora cheia. Existem dois pontos de desembarque: Encantadas e Nova Brasília (o qual atende também à Praia Grande, Farol e Fortaleza). Existe também uma linha regular de barco entre Encantadas e Nova Brasília, que parte a cada hora.

Atrações turísticas

As principais atrações turísticas da Ilha do Mel são:

  • Gruta das Encantadas, situada na parte sul da Ilha, é o patrimônio natural mais importante da Ilha do Mel. O morro da Gruta, formado por um tipo de rocha chamado migmatito é dividido por um veio de rocha negra, o diabásio. A Gruta se formou pela ação do mar sobre o diabásio, menos resistente que o migmatito. Para facilitar o acesso, foi construída uma passarela que leva até a sua entrada.
  • Farol das Conchas, para modernizar a navegação comercial brasileira o Imperador D. Pedro II ordenou, em 1870, o início das obras, realizadas por uma empresa inglesa sob a supervisão do engenheiro Zózimo Barroso. Os materiais foram importados da Escócia, país que detinha, na época, a tecnologia mais avançada no ramo. Inaugurado em 1º de abril de 1872 e localizado no alto do Morro das Conchas, pode ser avistado de quase todos os pontos da Ilha do Mel.
  • Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, único monumento militar do século XVIII existente no Paraná, instalado nos contrafortes do Morro da Baleia, erguido com paredes de um metro e meio de espessura, a Fortaleza foi concluída em 23 de abril de 1769. No alto do Morro da Baleia, junto à Fortaleza, estão canhões e trincheiras de pedras. É o chamado “Labirinto dos Canhões”. Há também um mirante, com uma vista panorâmica. Chega-se até lá por trilha no morro
  • Istmo, localizado em Nova Brasília, o Istmo ou Passa-Passa (como é conhecido pelos locais), é a parte mais estreita da Ilha do Mel e sofre um processo de erosão desde 1930, porém atualmente, a água já não atravessa mais de um lado ao outro, como aconteceu em 1995. A largura hoje chega a 30 metros e somente nas grandes ressacas do mar a água chega a atravessar.

 

Distâncias entre pontos da Ilha para percorrer a pé

Percurso (só ida) Tempo médio Distância Nível de dificuldade
Encantadas – Brasília 2 horas 6 km Médio (com pedras)
Brasília – Farol das Conchas 30 minutos 2 km Médio (com subida)
Brasília – Fortaleza 1 hora 4 km Fácil
Brasília – Ponta Oeste 3 horas 10 km Fácil
Encantadas – Fortaleza 3 horas 10 km Médio (com pedras)
Encantadas – Farol 2:30 horas 8 km Médio (com pedras)

 

 

 

Faça já sua reserva na Pousada Brasil Tropical  Reservas Online